Porque faço isso?

O voluntário é o jovem ou o adulto que, devido a seu interesse pessoal e ao seu espírito cívico, dedica parte do seu tempo, sem remuneração alguma, a diversas formas de atividades, organizadas ou não, de bem estar social, ou outros campos.

Ao analisar os motivos que mobilizam em direção ao trabalho voluntário, descobrem-se, entre outros, dois componentes fundamentais: o de cunho pessoal, a doação de tempo e esforço como resposta a uma inquietação interior que é levada à prática; e o social, a tomada de consciência dos problemas ao se enfrentar com a realidade, o que leva à luta por um ideal ou ao comprometimento uma causa.


Doutora Alegria Risadinha
" Bem o que posso falar sobre ser voluntário?
Que é um presente de DEUS, que é uma forma de agradecer
a DEUS por tudo que ELE nos deu e dá sem merecermos;
que é uma forma de você devolver aos filhos DELE o muito
que já ganhou na vida!.
Eu sou Idalina Galdino Xavier, para as crianças Dra Alegria Risadinha, sou voluntária em hospitais desde os anos 80,
sempre fiz trabalhos voluntários em creches
e comunidades "sou contadora de histórias infantis" e me
relaciono muito bem com crianças, ia às creches contar histórias fazer teatrinho para os pequenos.
Certa vez fui convidada pelo amigo do meu filho a fazer parte de um grupo de atores que atuavam com crianças na Santa Casa de Misericórdia de Santos. Fiquei super feliz e já cheguei fazendo a maior festa. Estava muito feliz, mas tinha também meu trabalho nas creches e casas de apoio e não poderia usar a fantasia que usava no hospital (havia o nome do grupo nas costas).
Eu participava de um grupo para visitar as crianças nos hospitais e outro para ir às comunidades e creches eu e mais alguns amigos resolveram unir o útil ao agradável fundamos a ONG A.A.S. CIDADANIA com grupo Doutores do Riso que agora se chama DOUTORES VOLUNTÁRIOS DO RISO.
A única coisa que eu posso dizer é que sou imensamente feliz com esse trabalho que se tornou uma religião ir aos hospitais toda semana e distrair os im-pacientes rsrsrs afim de que a estada deles no hospital não seja tão dolorosa.
Acredito que todos podem ajudar o próximo! Basta querer afinal DEUS nos dá tanta coisa de graça e porque não podemos doar um pouco do nosso tempo, já que perdemos tanto tempo às vezes vendo novelas ou assistindo futebol (não que seja errado), mas poderíamos gastar um tempinho com as criancinhas doentes e carentes!
Tem uma frase que costumo falar nas minhas palestras "Não adianta só trabalhar, só estudar para ganhar muito dinheiro e esquecer que existe do outro lado uma sociedade injusta e essa sociedade esquecida um dia vai cobrar de nós ou de nossos netos, então não adiantará blindar os carros colocar alarme que uma hora a gente tem que descer do carro e entrar em casa, pode ser este o momento que a sociedade esperava para cobrar o teu descaso, a tua falta de tempo para se preocupar com as crianças haja vista que crescem então será tarde demais..."
As vezes nos preocupamos demais com a vida dos outros como: com as roupas de fulano, o carro de sicrano, como o fulano consegui comprar isso e aquilo, no entanto deveríamos nos preocupar com os outros de uma maneira positiva, saber se precisam de algo e como podemos fazer par ajudar.
Ser voluntário é se preocupar com nosso próximo é ajudar os mais necessitados sem esperar recompensa ter certeza de que na verdade quem está sendo ajudado é você!
"
 

Doutora Alegra


Sou a Dra. Alegra, ou melhor a Ligia Souto Dubra e faço
parte do grupo há mais de cinco anos, temos psicólogos e
pedagogos no grupo mas apenas queremos ajudar as crianças.
Estou na coordenação dos Doutores Voluntários do Riso e
sou responsável também pela abordagem das crianças,
na prevenção do abuso, que é sempre feita de forma
delicada e sutil, para que não haja qualquer tipo de
constrangimento ou receio por parte delas, ainda mais
se for alguma pessoa próxima que a ameace.
O trabalho da A.A.S. Cidadania não consiste em fazer o

acompanhamento das crianças, mas sim serem multiplicadores da consciência, de que a criança tenha sempre seus direitos e integridade física e moral respeitados.
Dinâmicas nos eventos, feita por meio de desenhos podem detectar algumas indicações de abuso, se alguma psicóloga da creche ou comunidade estiver presente, a criança já recebe acompanhamento, caso não, a pessoa mais próxima como a professora, por exemplo, pode ser avisada, explica a voluntária e então é tomada as medidas cabíveis.
É maravilhoso ter imaginar que vai ajudar e acabar descobrindo quem está sendo ajudada é você
.
 

Doutora Janaína
Janaina Moraes, é assim que eu me chamo,mas pode me chamar de Dra Janinha sou voluntária da A.A.S.Cidadania há 2 anos
e conheci o projeto da ONG através da diretora da
ONG Idalina Galdino Xavier, amiga de minha mãe
que sempre me convidava para participar das atividades desenvolvidas pela entidade, até que certo dia resolvi
aceitar o convite e fiquei maravilhada com tudo que vi
e percebi que os objetivos da A.A.S.Cidadania são
fundados em base sólidas de amor ao próximo, de respeito à humanidade, ao planeta e de comprometimento com a vida,
isso realmente foi o que me fez despertar para o voluntariado e senti que a partir dali não conseguiria dizer não ao trabalho voluntário.
A escolha desta entidade em relação a tantas outras é porque na A.A.S.Cidadania os voluntários realmente fazem a diferença, pensam de forma diferente, pois realizam o trabalho tendo contato direto com crianças de diversas faixas etárias e isso me fascina por completo, além do amor e seriedade que a Dra Alegria faz seu trabalho. Aprendi que quando nos caracterizamos viramos anjos e não palhaços e que somos doutores conhecimento de como fazer rir uma criança e aplicamos esse conhecimento para minimizar as dores.
Ser voluntário é muito mais do que ajudar alguém, é ter prazer e se sentir como se tivesse ganhado um tesouro, de tanta felicidade, é ter conhecimento do que está fazendo e sobre tudo comprometimento; ser voluntário é ajudar com o coração. Fazer um excelente trabalho, ter noção do grande esforço que fazemos para realização dos eventos, visitas em hospitais, mas vale a pena! Ver as crianças felizes me deixam muito feliz ..e sobretudo só tenho a agradecer a DEUS e dizer muito obrigada por fazer parte desta linda "família" que formamos na A.A.S. Cidadania.
 

Maria Madalena Panhoci
Eu sou Maria Madalena Panhoci, voluntária da Associação
Alegria Solidariedade e Cidadania
, geralmente não
me caracterizo, nos eventos faço maquiagem artística
no rosto das as crianças e a maior satisfação de realizar
um evento desse tipo é assistir as crianças se divertindo.
Desde 2002 participo dos eventos e projetos da associação
é um imenso prazer proporcionar essa oportunidade de
integração entre as crianças e adultos, oferecendo
serviços no DIA DA CIDADANIA ATIVA. Esse dia é
um dia muito intenso, das 9h Às 17h. oferecemos para a população
ações e serviços, pequenos benefícios como o corte de cabelo, enfermeiros, documentação. Tudo gratuito. "Parece pouco, mas para essa população carente é motivo de alegria e festa.", tenho orgulho da prestação de serviços e a ação social da AASCiddania, esses eventos beneficiam muito a comunidade e conta com grande participação da população nos eventos.
A AASCidadania leva os Doutores Voluntários do Riso, grupo bastante conhecido da associação, que programou atividades com as crianças, monitorando-as e transmitindo conhecimento através de brincadeiras, além da presença dos voluntários dos projetos paralelos da diretora da associação, que não se caracterizam como eu e a D. Idalina nestes eventos, que ensinaram as crianças sobre preservação ambiental, reciclagem e ainda sobre violência sexual. Tudo com muita brincadeira e descontração.
Esse tipo de evento é realizado duas vezes ao ano em cada região. Muito pouco para o tanto de necessidade que tem as comunidades e que gostaríamos. "É um evento que parece pequeno, porém é muito grande, porque conta com muitas parcerias como as Secretaria da Segurança, Ministério do Trabalho e da Justiça Eleitoral."
Entretanto, eu me orgulho do sucesso dessa realização que visa à comunidade e nossa promessa de compromisso social. O Dia da Cidadania é um evento esperado e sempre conta com grande participação. É um prazer poder participar como voluntária e fazer essa ligação entre os projetos sociais".
 

Doutora Drica Ripilika
Eu sempre quis fazer trabalho voluntário, mas nunca tive tempo,
ou melhor, nunca arrumava tempo, depois que vi minha
tia fazer tanta coisa, ainda assim ir aos hospitais nos fins de semana, me senti envergonhada e aos poucos fui me chegando
ao trabalho voluntário hoje não consigo viver sem ele.
Saber que o mínimo que dermos vai fazer uma diferença muito grande na vida dessas crianças já é o bastante para nunca
mais eu largar esse trabalho.
As pessoas pensam que precisam de tempo para ajudar, mas
é um pensamento errado porque o mês tem 30 dias cada

dia tem 24h00 se você se dedicar 2h00hs por semana não vai fazer diferença na tua vida essas 8h00hs, mas vai fazer muita diferença na vida de uma porção de pessoas menos favorecidas.
Temos diversas profissões, e que queremos oferecer uma contribuição pessoal e profissional para valorizar e desenvolver a cidadania na comunidade. Nossa missão é difundir os conceitos de cidadania em todos os segmentos que formam a família brasileira e defender para que todo cidadão tenha seus direitos e obrigações respeitados no seu dia a dia. A participação de todos, exercendo de forma plena o voluntariado significa garantir os direitos das crianças e adolescentes.
É preciso cada cidadão tenha consciência da necessidade de exercer a cidadania e a solidariedade em sua plenitude.
Só de você ver o sorriso nos lábios e o brilho no olhar da criança você se sente uma pessoa melhor e se tornar mais humana!
Tenho certeza que não existe nada melhor no mundo e na vida do que ajudar alguém é muito verdadeiro essas palavras "Há muito mais felicidade em dar do que há em receber". Toda a palavra é pouco para descrever nossos sentimentos. Por isso sou voluntária desde 2002 jamais deixarei de ser, é a melhor coisa do mundo só quem é ou foi sabe o que estou dizendo.
 

Doutora Déia Lilika
Meu nome é Andrea Cristina da Nóbrega, sou gêmea
da Adriana a nossa história é quase parecida, só que
ela se tornou voluntária primeiro, mas o voluntariado vicia
é muito gostoso fazer o bem, ajudar as pessoas você se
sente forte! Ajuda você a valorizar as pequenas coisas!
Reclamamos de tudo e nos esquecemos de olhar para trás,
ou melhor, ao nosso redor temos que deixar de ser egoístas
e pensar só em nossa família, vivemos numa sociedade que
grita por igualdade, por respeito, por amor. Por isso vemos
tanta violência porque as pessoas não se preocupam com
as outras, "o mundo é dos mais espertos", "primeiro eu" tudo isso faz com que o amor seja deixado em segundo plano é onde os jovens vão buscar amor e prazer nas drogas porque não encontram prazer nem amor na família.
Quando se exercita o amor como voluntário a gente aprende a valorizar a família, os amigos e aumenta nossa fé em DEUS porque percebemos que somos privilegiados que temos muito mais do que merecemos e que se DEUS é Bom conosco porque não podemos ser com os outros?
O que eu tenho a dizer é que todo mundo pelo menos uma vez tinha que fazer um trabalho nos hospitais, nas favelas e então sentir de verdade o que a gente sente e não pode nem consegue explicar
.
 

Doutor Zinho
Sempre gostei de fazer o trabalho de voluntariado,
em todas as áreas, quando descobri que existia um grupo
em São Paulo que animava hospitais, pirei...
A partir daí comecei a procurar aqui na Baixada Santista,
se tinha algum grupo que fizesse o mesmo trabalho e
descobri que na Santa-Casa de Santos havia um; entrei
em contato e na semana seguinte já estava estagiando
e aprendendo como deveria me portar e interagir
com as crianças...
Lá conheci pessoas incríveis, cada criança com suas histórias que
contagiavam nossos corações e faziam com que a gente ficasse contando no dedo quando seria a outra visita... Lá também conheci a Dra. Alegria (essa criança há mais tempo que nós) que sempre me apoiou e nunca ficou parada no tempo, sempre que eu puder estaremos juntos "prá alegrar a mulecadinha, eu e o Pitoco..."
Dra. Alegria e Cia. que o Papai do Céu, sempre ilumine seus caminhos e os ajude no encontro de pessoas de boa-vontade...
 

Doutora Joaninha
Doutores Voluntários do Riso... o que dizer...
A participação em um grupo como este é fazer despertar
de dentro de cada um sua melhor porção.
É poder vivenciar experiências extremamente gratificantes
onde se tem o retorno imediato, diário, em cada visita a
hospital, em cada creche, em cada comunidade, porque
não há recompensa maior do que um sorriso de criança...
e ter o prazer de reavivar no peito de cada mãezinha, a
esperança de que seu filho ficará bem, é um retorno que vem
direto do "Papai do Céu".
É compartilhar da amizade e do companheirismo de todos
os outros doutores, é a sensação do dever cumprido,
demonstração de caridade e colaboração para um mundo melhor. Sim! Este mundo é possível, um mundo de alegrias, amor, paz, felicidade e muita luz, mundo este que só depende da boa vontade de cada um de nós. Venha ser parte disso você também, seja um Voluntário do Riso, voluntário do amor e tenha certeza de que assim, você será muito feliz!
 

Doutor Allegreto
Quanto a mim ??? Hoje, graças ao serviço voluntario, sou
um homem mais feliz e consciente das alegrias que divido
com as pessoas que amo. Sei, com mais convicção, que cada dia vivido, cada brisa que sinto, cada passo com minhas pernas saudaveis, são presentes que recebi e que devo valorizar........
A alegria de ter uma familia unida, e com problemas como toda
s as outras....é um presente !!! Não posso agradecer de
forma justa esse presente recebido !! Mas posso sim tentar,
mesmo que minimamente, atenuar , atraves de um sorriso,
atraves de um abraço....ou até de um olhar.....retribuir o que recebi!!! Como???....... a resposta você já sabe...... me juntando a esse maravilhoso grupo de voluntários... que procuram o mesmo que eu......uma oportunidade de demonstrar toda a gratidão que possuem por um Deus tão maravilhoso, meu nome Gian Karlo Xavier membro da AASCidadania e participante dos Doutores Voluntários do riso.
 

Doutora Pekenina

Meu nome é Thalita Christina Gomes Penco, voluntária e
membro participante da A.A.S.Cidadania.
Poder participar do voluntariado é um privilégio.
É muito bom ver que doando um pouco do nosso tempo
fazemos tanto bem a quem necessita. Ir aos hospitais,
visitar os pacientes, levar alegria a eles e a seus acompanhantes, ambos passando por situação delicada, é extremamente
gratificante! Não tem preço!' Mudar e encantar a vida de quem precisa.......

 

Doutora Kika

Me chamo Erika Giovanna Xavier Vasconcelos, sou
psicopedagoga, professora de educação física e
educação infantil. Desde que eu me conheço por gente faço
trabalho voluntário! Quando eu tinha uns cinco ou seis anos me lembro que minha mãe fazia campanhas para a Gota de Leite,
reunia vizinhas amigos e conseguia material de higiene, roupas, sapatos, brinquedos enfim, no Dia da Criança fazíamos uma
grande festa na Gota de Leite, ainda me lembro eu a ajudando
a separar as doações. Isso fez com que eu crescesse envolvida
com trabalho voluntário.

Este é o melhor trabalho do mundo, cada milimetro de amor que você dá recebe setenta vezes setentas mais. É como se fosse um poço inesgotável de prazer, que quanto você mais tira mais tem para tirar.
É indecifrável o prazer e a sensação de dever cumprido, saber que algumas horas você vai fazer alguém feliz. Nós sabemos que quando colocamos amor em tudo que fazemos, nem o medo, nem a vergonha, nem a dúvida, nem o desânimo, nem a preguiça, nada nos faz parar ....Quando colocamos o amor na frente, as regras, as convenções, o que as pessoas irão dizer ou pensar não importa ....Porque colocamos o amor como prioridade, abrimos mão das nossas horas de descanso vestimos nosso jaleco branco ou colorido, nos caracterizamos, colocamos ou não o nariz de palhaço, não importa, nos transformamos em um Doutor, tentando levar alegria e esperança a pessoas que nunca vimos, não sabemos como se chamam, nem onde moram, e muito menos que idade têm. E sabemos que quando nos encontrarmos na rua, com certeza não nos reconhecerão...
Mas ao se lembrar da sensação que sentimos em receber aquele sorriso, nem que tenha sido somente o sorriso do olhar,
Termos a certeza que valeu a pena ter colocado o voluntariado como prioridade das nossas vidas...
É assim que quero viver, é assim que aprendi a viver é assim que todos deveriam ser!!!
Convido você a provar desse prazer que envolve, nos alegra e nos faz feliz!!!

 

Doutora Estrelinha
Pense na última vez que você riu. Foi por alguma situação
engraçada? Ou por alguma piada? Ou por uma sátira que
viu na TV? Talvez por nenhuma dessas razões.
Muito provavelmente não houve uma razão especial e
você riu ou sorriu ao cumprimentar alguém, quando
conversava com amigos ou quando brincava com alguém.
O riso é universal na espécie humana e uma das coisas
mais comuns que fazemos. Nós rimos muitas vezes por
dia e em situações extraordinariamente diversas,
mas não percebemos isso, porque raramente controlamos conscientemente o nosso riso que 80% do nosso riso não
tem nada a ver com humor. Nós rimos essencialmente em situações sociais e geralmente em momentos de felicidade, prazer e brincadeiras, mas sabemos que ele é muito mais do que apenas uma mera manifestação de alegria. Ele também atenua hostilidade e agressão (repare como utilizamos o riso quando queremos atenuar uma típica tensão entre estranhos ou necessitamos dizer não a alguém. Nós frequentemente rimos quando nos desculpamos. O riso, como qualquer outro comportamento emocional, tem uma função e o riso não é exceção. A função do riso é a de comunição. É uma mensagem que nós enviamos às outras pessoas comunicando disposição para brincar, ligar-se a elas, ficarmos felizes e fazê-las felizes, mostrarmos que somos pacíficos.
Só tenho a agradecer a DEUS por ter me dado a oportunidade de sentir em meu coração a vontade de ser Doutora Vonluntaria do Riso e ter iluminado meus caminhos para que eu pudesse encontrar esse trabalho. Pois somos pessoas que acreditam que "o riso é um bom remédio". Riso e humor diminuem estresse e ansiedade, aumenta a imunidade, relaxa a tensão muscular e diminui a dor.
Sendo Voluntaria do Riso é onde toco meu próprio eu, vejo minhas fragilidades, minhas fortalezas, me sinto mais próxima de DEUS e vejo que em cada visita encontro um pedacinho do céu, não pelas situações encontradas, mas pelas atitudes tomadas, por cada sorriso, por cada "volte sempre", por cada abraço, por cada Fé! e por cada Obrigado!
DEUS obrigada por tudo!, Doutores Voluntários do Riso, obrigado por existirem, por darem oportunidades para as pessoas melhorarem uma parte do mundo de alguém sendo voluntários, e por acreditarem na força do riso!
 

Vovó Iaiá
Não sei resumir o que acredito ser voluntariado e como comecei
a prestá-lo pois para mim ele é sinônimo de amor.
Meu nome é Iara Pedro
Comecei ainda criança o trabalho voluntário. Minha mãe
atendia as vizinhas quando estas tinham bebês, além de
atendê-las ela trazia para casa os filhos maiores até que
a mãe estivesse em condições de cuidar deles. Já viu!
Também entrei nessa. Fui me acostumando e aceitando
que estamos aqui para cuidarmos uns dos outros. Aos 25 anos
fui trabalhar, passei meu tempo livre durante 15 anos prestando serviço comunitário a asilos, creches, comunidades pobres
ensinando alfabetização à adultos etc, quando a Vila Socó
pegou fogo, trabalhamos arduamente no atendimento das pessoas abrigadas nos alojamentos até estas receberem suas casas na Vila Natal. Nesse tempo fui apresentada à várias outras pessoas também voluntárias que prestavam serviços à comunidades carentes em São Vicente, entre elas a amada Irmã Dolores. Percebi que o meus problemas era tão pequenos perto dos problemas que as pessoas enfrentavam. Eu tinha uma família e nos amávamos, um trabalho, uma casa e o carinho de amigos, enquanto pessoas dessas comunidades... Empenhei-me muito em amar essas pessoas as quais não conhecia e muito menos sabia se um dia elas iriam se lembrar de mim em suas orações. Foi aí que me contaminei com o 'vírus' da solidariedade. Digo vírus, porque o amor ao próximo, como Deus nos pediu, não tem antídoto, e quando o experimentamos somos contaminados. Amamos as pessoas mesmo sem conhecê-las e quando amamos a ajuda é voluntária não esperamos que nos procurem para pedí-la, a oferecemos graciosamente quando sentimos ser necessária. Para mim explicar o que é ser voluntário é muito dificil tem que esperimentar, só então vc valorizará sua vida e tudo a sua volta, te dá coragem para luatar e se resume em um só nome IRMÃ DOLORES, O ANJO DOS POBRES.
Deus abençõe a todos!
 

Doutora Luli
Meu nome é Luiza Masch Naslauski
Já era voluntária antes de começar a participar do
"Doutores Voluntários do Riso" e acredito muito na força
que os "doutores" trazem para as pessoas. Basta
ver o sorriso das crianças e da família.
Acho que as vantagens que os "voluntários"
trazem não se aplica apenas às pessoas que estão no hospital.
Faz um bem enorme ao voluntário também, me sinto outra
pessoa quando saio do hospital, renovada.
Experimente fazer o bem.
 

Doutora Poula Amore

Olá! Sou Ana Paula Ursini Ayres, 31 anos, cabelereira, mãe,
filha, esposa, amiga e também atendo por Doutora Poula Amore, Voluntária do Riso. Conheci estas pessoas maravilhosas que s
ão Idalina, Marcelo e Erika há aproximadamente 13 anos.
Embora os anos e a vida nos levem para caminhos diferentes,
sempre estive com estes amigos queridos em meu coração.
Em 2005, Idalina, ou melhor, Dra Alegria, me convidou para
fazer parte deste projeto maravilhoso. Embora tenha me
interessado muito, não abracei a causa de imediato.
Somente após três anos, percebo que o meu coração foi
chamado. É a minha hora, o meu momento de me doar.
Sempre achei que o voluntariado nada mais é que uma
liigação inerente a todo ser humano.

Mas que só tem valor quando é feito ao pé da letra, de livre e espontânea vontade. E é o que faço quando pinto o rosto e me torno Doutora do Riso. Doando algumas horas da minha vida para poder ajudar o próximo. Deixando um pouco de pensar em mim e nos meus, para doar amor, carinho e amizade, que tenho de sobra dentro de mim.
Você também pode ser um Doutor Voluntário do Riso, levando amor e alegria, tentando amenizar a dor dos que necessitam. Esta causa é para todos, para mim, para você! Para todos que acreditam, assim como nós, em um futuro melhor, com paz, igualdade e principalmente humanidade. Pois somos todos iguais, de carne, de osso, de espírito e sentimentos. Venha e conheça! Você também vai se apaixonar. E descobrir o verdadeiro sabor da vida, quando se é PLENAMENTE FELIZ

 

Doutora Leleca
Olá, eu sou a Doutora Leleca, meu nome é Maristela, sou bacharel
em Direito, mas trabalho como bancária e conheci a Associação Alegria Solidariedade e Cidadânia através do anjo
Doutora Alegria Risadinha (Idalina).
Me interessei pela causa e resolvi participar, uma forma de voluntariado que basta sorrir, e comprovadamente o sorriso
é muito bom para quem recebe e principalmente para
quem sorri. Enriquece quem recebe e não empobrece quem dá.
Eu sempre pensei que não tinha tempo para fazer um trabalho voluntário, afinal trabalho todos os dias, no final de semana
tenho sempre muitos afazeres pessoais como cuidar de
assuntos da minha casa, do meu filho, supermercado, enfim, o final de semana é totalmente tomado por compromissos pessoais, percebi
que a questão era tentar dar o passo inicial, doar algumas horinhas que realmente não fariam diferença alguma na minha rotina de vida mas que fariam a diferença na vida de alguém, então dei esse passo, e foi um passo acertado, fui ser uma Doutora Voluntária do Riso e está sendo muito bom, é como um grãozinho que plantamos no coração de quem recebe nosso carinho, atenção e sorriso num momento difícil, é ter a certeza que fazemos a diferença na vida de alguém.
Participar dos Doutores Voluntários do Riso me faz ser alguém melhor, sou feliz por poder fazer algo por alguém, a satisfação que sinto em ser a Doutora Leleca é indescritível, só quem participa de projetos como esse pode avaliar.
Só tenho que agradecer a Deus por me conceder saúde e coragem para eu sempre participar dos Doutores Voluntários do Riso.

Doutora Sasha Doutora Paixão

Doutora Bibi Doutora Raio de Luz

Doutora Rosinha  
 

Doutor Site
Era uma noite como outra qualquer. Nem sei quantas pessoas
estavam a minha volta falando alto, gargalhando.
Eu prestava atenção apenas nos rostos que passavam.
Cumprimentava a todos.
Num determinado momento Deus fez com que eu escutasse uma conversa de uma senhora muito simpática de sorriso farto e voz baixinha. Deus fez com que todos os sons sumissem, e eu apenas conseguia ouvir uma voz. Era a voz de Idalina contando para
uma outra aluna não só as dificuldades da AASCidadania,
mas as experiência de vida, a importância de levar alegria a quem necessita.
Deus me deu o privilégio de ouvir a conversa que, revendo toda a cena nos dias de hoje, não temos a menor dúvida que foi Deus
quem transportou as palavras de Idalina até os meus ouvidos.
Eu e Idalina já conversamos várias vezes, no mesmo local, e nos arrepiamos e choramos ao relembrar de como fomos usados de como fomos "chamados".
Trabalhar com o site para a AASCidadania tem sido um privilégio muito grande. Agradeço a Deus por isso!
Parabéns a todos os Doutores e Doutoras Voluntários e Voluntárias do Riso. O "papel" que vocês desempenham não é o de "palhaços" porque exige capacitação, dedicação, e amor que os transformam em "mensageiros de Deus" pois Ele precisa de cada um de nós para se manifestar e levar alegria a quem precisa, amenizar as dores, curar as feridas, enxugar uma lágrima e vocês atenderem ao chamado dEle!

Obrigada por todo Carinho contido nesta ação solidária a que Vocês prestam aos Pacientes e Familiares.

Que Deus ilumine o caminho de cada integrante deste projeto. Mais uma vez obrigada, Aline Mazetto.

PS.: minha filha Aloah esteve internada para tratar uma pneumonia durante inclusive seu aniversário, onde completou em 14/09, 3 anos nas dependências do HSP Silvério Fontes - Zona Noroeste - Santos.